Voltar para Página Inicial

Corpo Humano:
Ela age no corpo humano diminuindo a fadiga, basta usa-la junto ao corpo, no bolso da camisa ou da calça, para se sentir com disposição e energia ou colocá-la debaixo do travesseiro e dormir sobre ela durante a noite. A energia da placa atravessa qualquer objeto, exceto o metal. Tem um melhor resultado se usada pendurada através de uma corrente ou cordão de qualquer material na altura do coração, para energisar a glândula timo.

Plantas e Flores:
Se você deseja proporcionar mais saúde ao reinno vegetal, suas plantas deverão ser regadas com água energizada com a Placaindiana Reiki. Se você colocar suas flores sobre a placa, elas durarão o dobro.

Alimentos e Líquidos:
Ela reduz as vibrações negativas de qualquer alimento ou liquido. Para isto, basta colocar o alimento sobre uma placa durante 7 minutos. O abacaxi perderá seu sabor ácido, tornando-se mais adocicado. As alfaces e outras folhas demoram mais a murchar se colocadas sobre a Placaindiana Reiki.À água, por exemplo, fica energizada em apenas 7 minutos (é comum os viajantes estranharem a água de determinados locais, o que não virá a ocorrer caso se fizer o uso da Placaindiana Reiki).
A água energizada é usada há milênios para a aceleração da recuperação de pessoas doentes e quando tomadas por pessoas sadias, fortalece o organismo evitando problemas com saúde.
A Água energizada fica como que magnetizada, pois, a energização muda a estrutura molecular da água, tornando-a mais pura e totalmente benéfica para pessoas, animais e plantas.
Você poderá sentir a diferença entre uma água filtrada comum e uma água energizada.
A energizada fica com um aspecto mais adocicado e a sensação que sentimos ao beber é que ela é menos densa.


Instruções para a Energização da Água:
Providenciar uma jarra que pode ser de vidro, louça ou barro, também pode ser dentro de garrafa plástica. Colocar essa jarra em cima de uma P.I (A mais indicada para esse caso é a de tamanho médio) e após 7 minutos ela já está anergizada. Ir completando a jarra à medida que for sendo utilizada deixando sempre a P.I. sob a jarra.

Fibromialgia:
Pessoas que sofrem de dores espalhada por todo o corpo devem tomar a agua energizada pela Placaindiana Reiki ( dois a três litros por dia) e no prazo de uma semana perceberá uma drástica mudança para melhor, quando não ocorrer a cura completa desse mal dentro de uma ou duas semanas.

Energizaçao De Alimentos:
Todo alimento antes de chegar as nossas mesas, passam por muitos lugares e por muitas mãos. Mesmo sendo bem lavados eles podem permanecer impregnados de energias nocivas a saúde.
A exposição desses alimentos à energia da P.I. por 7 minutos é suficiente para desintegrar e liquidar com toda energia não qualificada que estão impregnados nesses alimentos.
No caso das verduras, elas permanecem frescas por mais tempo quando expostas a energia da P.I. Recomendamos usar a P.I do tamanho médio dentro da sacola de verduras no caminho da feira para elas não murcharem. No caso das carnes faça-se saber que a angústia do animal ao ser sacrificado cria uma vibração que fica impregnada na carne. Além do mais a toxina que existe na carne também è prejudicial à saúde. . Coloque uma placa de tamanho grande dentro de sua geladeira e ela estará energisando todos os alimentos ali contidos.

Instruções Para Energização De Alimentos:
Todo alimento poderá ser colocado em um prato e este sobre a P.I. no mínimo por 7 minutos para a remoção das toxinas, tornando-o mais saudável.
Comida enlatada será necessário tirá-la da lata. Os alimentos enlatados e os congelados perdem grande parte de sua energia vital que pode ser devolvida através da energização com a P.I. Alimento sem energia vital perde o poder de nutrir o organismo.

Bebidas Alcoólicas :
Se colocarmos a garrafa de aguardente (pinga) sobre a placa ela fará com que evapore todo o álcool deixando essa bebida menos prejudicial a saúde. Temos relato de casos de donas de casa que eliminaram o vício de seus maridos utilizando esse processo. O processo será mais rápido se existir o que chamamos de “intenção pensamento”, ou seja,conversarmos mentalmente com a placa pedindo para que ela tire o vício de determinada pessoa, no momento em que se coloca a garrafa sobre a Placaindiana Reiki. A Placaindiana Reiki é comandada por vibrações sutis inteligentes que ainda é desconhecida pela grande maioria dos seres humanos. Com a chegada da era de aquário ficará mais fácil de explicar esses fenômenos, visto que o ser humano está deixando o nível físico de pensamento e entrando no nível psíquico. As crianças que nasceram depois do ano 2000 (índigo e cristal) tem uma compreensão maior do que seja esses fenômenos pois essas possuem a mente chamada “bimânica”, que quer dizer “duas mentes” a racional , física, concreta (humana) e o mental abstrato (angélico). O Homem esta descobrindo que existe energias que estão além dessa realidade física e concreta que vivemos e passará a trabalhar com essas forças energéticas invisíveis a olho nu porem bem perceptível através de seus efeitos visíveis no plano físico.

 

Instruções para a Energização de Bebidas
Colocar a garrafa sobre a placa. Depois de 7 minutos já dá para sentir a diferença em bebidas como cervejas, vinhos, aguardente, café, etc...
A energização muda o P.H. da cerveja, tornando-a menos ácida e mais pura. Em outras bebidas haverá a diminuição da toxina e do teor alcoólico e se a exposição durar mais de 30 dias o teor chegará a 0%.

Tabaco e Cigarros:
Se colocarmos a Placaindiana Reiki junto de um maço de cigarro ela absorverá totalmente a nicotina, o alcatrão e outras substâncias químicas e nocivas que foram adicionadas ao fumo.
Existem relatos de usuários da Placaindiana Reiki que fumavam dois maços de cigarro por dia e utilizando esse processo diminuíram para três cigarros por dia no espaço de uma semana. Se junto disso a Placaindiana Reiki for utilizada pendurada na altura dos pulmões ela também ajudará no processo de desintoxicação e limpesa das substância cancerígenas instaladas nas vias respiratórias. Temos vários casos de pessoas que diminuíram o ronco durante o sono depois de passar a utiliza-la.

Remédios:
Indicamos que todo medicamento antes de ser ingerido seja colocado por pelo menos 7 minutos sobre a Placaindiana Reiki para que sejam cancelados os efeitos colaterais dos mesmos. As dores de estômago e náuseas que acompanham os remédios mais fortes deixarão de existir se for praticado esse processo. Observem o texto que vem a seguir extraído da revista Universo Espírita número 46:

“Síndrome do Pânico a Indústria do Medo”
“Empresas Farmacêuticas entraram em guerra pelo controle do mercado dos antidepressivos, um negócio de bilhões de dólares. Para vencer financiaram estudos que validavam suas teorias, manipularam dados estáticos, fabricaram e venderam remédios que, alem de diversos efeitos colaterais, tem um problema maior: não curam. E, pior, reinventaram uma doença: a Síndrome do Pânico.
Para maior parte dos neurocientistas, a individualidade seria uma figura virtual criada por uma combinação de neurônios. As emoções não passariam de fenômenos ilusórios, geneticamente criados no decorrer da evolução, portanto, passiveis de se controlar por substâncias químicas.
Todas as indústrias de remédios esta baseada nesta tese. No entanto, eles estão lidando com uma hipótese incompleta. O ser humano é mais que apenas um corpo. A ação de um remédio químico atinge apenas o funcionamento do cérebro, lida apenas com efeitos e não trata da causa da angústia. Por isso não cura. No entanto, esta em jogo o lucro extraordinário das grandes indústrias de medicamentos.
Palpitação, suor frio, respiração ofegante e um medo indescritível de morrer. A presença de pessoas agravava a sensações ruins. Ficar em público é impossível. Sentimentos de tristeza, angustia e temor se sucedem e se acumulam. A crise pode durar alguns minutos ou mesmo horas seguidas. É sufocante e insuportável. Diante do psiquiatra, a descrição dos sintomas é inequívoca e o diagnóstico surge rapidamente.
Estamos diante da Síndrome do Pânico. A solução parece rápida e milagrosa: 75 miligramas do remédio por dia resolvem. Certo? Errado. O problema esta só começando. O psiquiatra Paulo Urban, escritor e professor de pós-graduação e coordenador da revista Nova Consciência, já dirigiu um Hospital e, há décadas, dedica-se ao trabalho clínico de atendimento a pacientes com problemas psíquicos e emocionais. De acordo com ele a síndrome do pânico foi inventada para salvar economicamente um remédio que perdia a guerra de concorrência no tratamento da depressão. Mas, espere ai. O quadro da Síndrome do Pânico existe, milhares de pessoas sofrem com ele, é uma doença real, como, pode ser inventada?
“ Ela sempre existiu”, explica Urbam. Foi descrita a tempo por Freud ( 1856- 1939 ).
E seu tratamento e cura sempre se deram ao tratamento terapêutico.
O que foi inventado pela indústria é a Hipótese de se resolver o problema, simplesmente pela ação de um remédio.
Essa solução não passa de ilusão. O remédio é apenas um paliativo, não cura.”
No trecho acima, da para termos uma comprovação do ponto que chegou aqueles que exercem o domínio sobre a humanidade. Dizem Deus sempre manda alguma coisa muito boa para compensar um mal que esta sendo feito, assim mantem-se a lei do equilibrio aqui na Terra.
Seria a Placaindiana Reiki a resposta das orações daqueles oprimidos que tanto sofrem aqui nesse planeta ?

Envio de Energia Através de uma Fotografia:
Já sabemos que cada pessoa vibra em uma frequência individual de ondas luminosas, uma verdade ou fato metafísico que é o funda¬mento de vasta quantidade de "magia" ignorada e insuspeitada. Os nativos das selvas civilizadas frequentemente impedem que missioná¬rios e outros visitantes tirem suas fotos com uma câmera, por motivos criados em suas mentes "não civilizadas" (as mentes dos indígenas não seguem o padrão da mente coletiva da civilização) e cultivadas pelo sexto sentido e Terceiro Olho mais atuantes nesses Terrenos. Eles alegam que quem os fotografa de alguma forma misteriosa "está lhes roubando um pedaço da alma".
Não é verdade. Contudo, o fotógrafo está "roubando" seu ritmo de frequência, algo que nada tem de misterioso para quem compre¬enda a frequência vibratória que estivemos discutindo. De algum modo, através do processo da fotografia, a frequência individual da pessoa retratada fica impressa tanto no positivo como no negativo da foto. Digamos que um filho, um marido, ou pessoa amada ou um amigo (talvez um empregador, um vizinho ou colega de trabalho) esteja se por¬tando de maneira muito negativa e exasperante, como acontece com to¬dos nós de tempos em tempos, sendo a natureza humana do jeito que é. Você pode, literalmente, modificar essa pessoa por completo mu¬dando sua atitude de negativo para positivo — não permanentemente, mas até a próxima vez — ao usar sua placa indiana da ma¬neira que se segue. (Contudo, não diga à pessoa o que está fazendo.)
Coloque uma foto da pessoa sobre uma placa indiana, com a face para baixo. Deixe a foto ali por não mais de uma hora. Em geral, dentro de aproximadamente quinze a vinte minutos, a atitude da pessoa sofrerá urna modificação extraordinária, ela se transformará inteiramente de "implicante", teimosa, egoísta, irritada, rabugenta ou antipática, para cortês, alegre, desprendida, simpática e agradável. Você precisará fa¬zer de fato a experiência para comprovar a pura maravilha disto. Em minutos, a pessoa telefonará para você ou virá falar-lhe, dependendo de onde e como o "desentendimento" aconteceu (ou você mesmo pode tomar a iniciativa do contato), demonstrando uma total mudança de atitude, com frequência desculpando-se pelas palavras ou comporta¬mento negativos anteriores. Das primeiras vezes em que isto acontecer, você ficará francamente atônito... quase amedrontado por este tipo de poder energético. Poderá ainda, se preferir, manifestar esta magia an¬tes de se comunicar com determinada pessoa, a fim de garantir que o telefonema ou encontro seja harmonioso. Lembre-se de nunca dizer a ela o que está fazendo. A mente da pessoa poderá bloquear ou negar a infusão de energia positiva.
Este tipo de energização com a placa indiana nunca deverá ser tentado por motivos triviais — somente quando for genuinamente im¬portante modificar as vibrações entre você e a outra pessoa. Aliás, isto não deve ser encarado como alguma espécie de "magia negra" para forçar uma pessoa a modificar suas decisões de livre-arbítrio, porque não funcionará. Trata-se de magia branca,
capaz de apenas tempora¬riamente, por certo período, mudar o ritmo vibratório da pessoa do negativo para o positivo. Em outras palavras, se alguém se
recusou a fazer sua vontade, esta magia pode provocar uma mudança no coração ou na mente apenas se a pessoa-indivíduo deseja modificar seu coração ou sua mente e não percebe conscientemente tal desejo. Caso contrário, este processo não provocará uma mudança no coração ou na mente, embora manifeste o feliz resultado de criar um novo nível de compre¬ensão entre vocês dois, uma espécie de trégua ou de paz, permitindo que ambos consigam manejar seus desejos conflitantes e resolver seus desentendimentos de maneira amistosa, sem rancor ou má vontade.
Eis aqui apenas um entre muitos exemplos de minha experiência pessoal. Uma de minhas alunas me procurou um dia desses totalmente em prantos. Seu marido, a quem ela amava profundamente, tornara-se alcoólatra. Minha aluna já tentara tudo, porém nada o convencia a parar de beber, embora ele fosse basicamente um "homem religioso", de bom coração, que ad¬mitia querer largar a bebida, mas sem conseguir fazê-lo. Perguntei à minha amiga se poderia emprestar-me um retrato dele durante alguns dias.
Ela me fitou com surpresa, mas entregou-me uma foto que tinha na bolsa. Então, com compreensível curiosidade, perguntou o que eu pretendia fazer com a foto de seu marido. Sabendo que ela ainda não atingira uma fase suficiente de iluminação para compreen¬der as poderosas frequências de harmonia no Universo, e pressentindo que sua descrença poderia provocar uma espécie de "curto-circuito" no que eu planejava, dei-lhe uma resposta enigmática. Apenas sorri, dizendo: "Oh, vou apenas fazer ura pouquinho de 'magia branca'."
Ela foi embora e, nessa noite, coloquei a foto de seu marido sobre uma de minhas placas indianas deixando-a lá por uma hora inteira. Jamais havia usado o processo da fotografia dessa maneira, de modo que não tinha certeza do que podia — ou não — acontecer.
Na manhã seguinte, minha amiga telefonou do restaurante onde trabalhava em um estado combinado de felicidade e perplexidade "Você não pode imaginar o que aconteceu uma hora atrás!" excla¬mou. "João (não è o verdadeiro nome dele) esteve aqui em sua hora de almoço e me disse que resolveu parar de beber 'de estalo' e que decidiu fazer o curso de Reiki que o venho convidando a anos. Sei que ele realmente pre¬tende fazer o que disse. Nunca se mostrou tão sério a respeito antes .O que fez você para que isso acontecesse?"
Respondi que ficava muito satisfeito com a notícia, mas que ela não se preocupasse com o "motivo-" da coisa — apenas esperasse, para verificar até onde seu marido falava sério. Três meses mais tarde, re¬cebi a Ana (nome fictício) e seu marido João para iniciar um curso de Reiki Nível 1 e Ana disse que João não provara uma só gota de bebida. Um ano mais tarde, ele continuava sóbrio. Então, deixei-a acreditar que eu tinha "rezado" usando a foto dele, a qual lhe devolvi. Dois anos após este período de abstinência, ele voltou a beber. Foi quando contei para minha aluna Ana a história da placa indiana, sendo recom¬pensada por ouvi-la expressar uma fé absoluta na magia, sem mostrar qualquer ceticismo.
Embora a essa altura seu marido tivesse ido morar em outra cidade e eles estivessem legalmente separados, Ana pediu-me uma placa indiana e dei-lhe uma, advertindo que nada poderia predizer lhe — posto que aquele não era o seu uso "comum" — no que dizia respeito ao tempo necessário para a magia manifestar-se, tratando-se de um caso de alcoolismo. Em vez dos costumeiros quinze a vinte mi¬nutos ou coisa assim, talvez o tratamento tivesse que ser bem mais prolongado, uma vez por dia ou várias vezes por semana. Ela com¬preendeu. Isso foi no ano passado. Uma semana atrás, ela ligou para mim
contando que "João" voltara para casa e agora es¬tava permanentemente curado. Ele se internara em uma clínica para cura e só quisera voltar ao saber-se livre da vontade de beber. Estão agora tão felizes como dois
pombinhos.Naturalmente, não posso garantir que a placa indiana sempre cura o alcoolismo, mas claro está que não causa qualquer dano... e, quem sabe? Para isso é que existe a experimentação.
O motivo de não se poder deixar uma foto sobre a placa indiana por um período superior a uma hora de cada vez (e, de preferência, não mais do que uma ou duas vezes por semana) é que certas pessoas são ex¬tremamente sensíveis à sua energia. Uma "exposição" exagerada pode fazer com que o indivíduo assim "tratado" apresente nervosismo . Se alguém usa a experiência da foto com más intenções deliberadamente, tal reação não acontecerá, porque a lei do Universo relacionada à energia de força vital bloqueará absolutamente esse re¬sultado, devolvendo a tensão para o usuário. Esta é uma lei de magia inquebrantável, caso alguém tente usar tão sagrada força vital para o mal. Só devemos nos preocupar com a superexposição quando o mo¬tivo foi em benefício de alguém; então, a tensão será sentida breve¬mente, porque a superexposição não foi intencional. Do contrário, o usuário poderá ter muitíssimo a lamentar, por tentar prejudicar outra pessoa. A sensibilidade de certos indivíduos a estas energias tem sido demonstrada pelo que ocorre quando as placas indianas são colocadas nas pro¬ximidades de pacientes mentalmente perturbados. Eles reagem de várias formas, mas sempre intensamente, daí ser aconselhável não demorar mais de meia hora de cada vez ao usar fotos de pessoas com distúrbios mentais sérios e às quais você gostaria de ajudar.
Enquanto você pondera no que, percebo, talvez considera uma energia fantástica contida nas placas indianas, em particular quando empregada com fotografias, é bom saber que, há vários anos, cientis¬tas têm feito bem-sucedidos experimentos na erradicação de insetos ao irradiarem energia em uma fotografia das lavouras atacadas. Cientistas ortodo¬xos, quero dizer. (Eu sabia que isto deixaria alguns de vocês se sentindo melhor!) E por falar nisto, não importa se a foto que você expuser a estas energias de força vital haja sido tirada recentemente — na vés¬pera — ou quando a pessoa retratada era criança ou bebé. A frequência vibratória individual não muda.
Um caso muito ineressante o que se segue Uma professora que faz cursos comigo descobriu o remédio perfeito para combater alunos do primeiro grau que se mostram travessos e per¬turbam a aula. Em sua classe há uma cadeira com uma almofada no assento. Ninguém tem permissão para tocar a almofada ou se apro¬ximar da cadeira. Foi batizada de "Almofada mágica boazinha". Qualquer aluno que se porte mal é convidado a se sentar na "Almofada mágica boazinha" por quinze minutos. Quando a criança volta à sua carteira, está transformada (ao menos temporariamente!) em um per¬feito anjinho. Naturalmente, uma das placas indianas maiores é colocada debaixo da almofada.
As placas têm sido usadas por muitas pessoas há mais de quinze anos ( comecei a fabrica-las em 1992) e continuam funcionando eficientemente após todo esse tempo. As placas indianas não precisam ser "recarregadas" com a energia de força vital do Universo.Elas permanece nessa condição... talvez indefini¬damente.

Voltar para Página Inicial